A AUTO DESTRUIÇÃO POR MEIO DA ALIMENTAÇÃO

  • 23 November 2016
  • admin

Quantas pessoas comem excessiva e equivocadamente para tentar suprir uma carência ou compensar o cansaço e o estresse cotidianos? MUITAS! Algumas delas chegam até mesmo a comer aquilo que nem gostam muito ou que as faz mal... Esta é uma triste realidade, mas que não costuma bater muito na porta do meu consultório, mas hoje foi diferente.

Esse "comer compulsivo e compensatório" me fez lembrar da minha infância quando estava muito fora do peso... Quanto mais me chamavam de "baleia" (ou qualquer adjetivo semelhante), mais eu comia (muitas vezes escondida).

Mas porque eu resolvi escrever sobre isso? Para, na verdade, incentivar que estas pessoas sejam acolhidas. Se você nota características compulsivas ou compensatórias na alimentação por parte de alguém próximo, tente demonstrar que esta pessoa pode contar com você, mas não a critique, não a julgue e, principalmente, não a ofenda.

O caminho a ser traçado não envolverá apenas a restruturação do padrão alimentar, mas também (e talvez principalmente) uma profunda retomada da auto estima e inserção da atividade física.

No momento de "crise" inicial será fadada ao insucesso a tentativa de impor a esta pessoa fragilizada algum padrão alimentar ou de atividade física ideais (se é que eles existem), se tudo isso vier agregar algum sofrimento ou estresse maiores. A dieta muito restritiva, por exemplo, poderá disparar ainda mais os episódios de compulsividade.

Se possível, tente abordar cuidadosamente a importância de que um bom psicólogo seja procurado.

Em um momento em que várias "pessoas perfeitas" viraram modelos a serem seguidos, receio que cada vez mais pessoas infelizes e compulsivas surjam.

Um abraço, boa noite e até a próxima!