"COLCHA DE RETALHOS"

  • 23 November 2016
  • admin

Quem costuma ler meus textos sabe que eu tenho tentado debater de forma reflexiva alguns temas controversos ou "do momento"... 

Conhecendo um pouco mais da minha "linha" de atuação profissional vocês já perceberam que estou muito distante da ideia de exaltar aqui um "super alimento ou suplemento". Entretanto, continuo atendendo pessoas no consultório que chegam até mim realizando uma "miscelânea nutricional". Tentam incorporar diversas receitas e estratégias descritas nas redes sociais como sendo ideias para quem busca um corpo sarado ou quem visa desfrutar de boa saúde. 

Devo confessar que nem tudo que percebo pode ser considerado nocivo, ou seja, aparecem pessoas que dizem ter melhorado a função intestinal por terem incorporado mais chia à dieta, por exemplo. Outras que melhoraram seu perfil lipídico e/ou reduziram transtornos intestinais por terem reduzido a ingestão de alimentos industrializados e/ou refinados....

Mas vocês já ouviram que a "diferença entre o medicamento e o veneno está na dose"?

Pois bem... analogamente, me pego pensando que o problema acontece quando alguns destes bons hábitos alimentares são incorporados de forma desorientada. Um dos exemplos mais gritantes que registrei recentemente foi o seguinte: uma bela jovem desejando reduzir o percentual de gordura, me relatou estar consumindo o seguinte "shake" após os treinos: 1 copo (200mL) de água de coco + 1 colher de sopa de semente de chia + 1 colher de sobremesa de óleo de coco + 1 banana prata pequena + 1 medida dosadora (25g) de whey proteína hidrolisada. Incrível, não acham? 

Ela me disse que o sabor não a agradava e que teria pego esta "receita" da internet. Mesmo que não seja verdade, a clara intensão era unir vários ingredientes saudáveis e/ou importantes para o alcance dos seus objetivos... Inicialmente meu estômago embrulhou (mas disfarcei, é claro), depois me veio um sentimento de preocupação e, por fim, senti um feliz alívio por ter oportunidade de ajuda-la...

Assim como ela, diversas pessoas tem procurado adotar hábitos mais saudáveis (pelo menos, frente às teorias propagadas pela internet), mas, passado um tempo, começam a notar que seus objetivos não estão sendo alcançados e/ou que não aguentam mais seguir algum "modelo" de alimentação, por vezes pouco variado e/ou nada prazeroso...

Me despeço aqui enfatizando que este texto visa demonstrar que nós Nutricionistas não precisamos temer a tanta "concorrência", pois, em algum momento, nossa importância ficará muito evidente para quem tem discernimento de que não há como fugir da individualidade.

Um abraço e até a próxima! ;)